sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Eu sou metade amada (porque ninguém me assume por inteiro)


Sempre que tento abafar a voz da conciência crio problemas sério. Minha vida estava perfeita, tinha arranjado um plano a seguir e tentar (e conseguir) te esquecer, esse era o plano original. E quem disse que consegui? Só com a sua simples presença eu me abalei, esqueci desse plano, jurei que pudia ser diferente, que você tinha mudado. A quem quero enganar?

Consegui ter o dobro de panciência que tive da outra vez, me desabei em lágrimas (de novo) e tive a vontade de alimentar o outro vício que eu tenho além de você. Quis comer todo o chocolate do mundo, e dormir. Mas, me desapontei, tinha acabado todo o chocolate e não conseguia ter um minuto de paz pra dormir. Minha consciencia me julgou, me apontou como a causa disso tudo. De ser fraca demais pra poder te dar um não, de não ter seguido meu plano original de curtir com outros, sentir um beijo e um cheiro que não seja o seu.

E o melhor de tudo, não me sentir culpada por te trocar.

Não sei o que te deu, invadir a minha vida, na fase de recuperação, se nem você sabe mesmo o que quer. O que você sou eu? Não parece.

Sou tão burra por acreditar em mudanças repentinas. Não quero isso pra mim... Eu tenho certeza que você por ser o que eu mais quero, mas não é a coisa certa pra mim. Me pergunto o que eu fiz pro Destino, pra Deus, pra Afrodite (quem seja) me tratar assim. Não poder seguir em frente, ser presa a algo que me consome de uma tal forma.

Isso não sou eu. Sempre fui aquela de não ter paciência, de que o meu "Eu te amo" se torna-se um milagre. Vou tentar recuperar tudo que tinha, passar uma borracha nos últimos 6 meses nem que seja pra apagar MUITA coisa que foi importante pra mim. Agora eu vou me tornar renovada, pra uma vida sem você, mesmo que se torne a pior dor. Espero que um dia isso passe.

Nenhum comentário: